Como aplicar práticas ativas nas aulas a distância

Adaptar as aulas presenciais para a modalidade a distância traz uma série de desafios. Um deles é tornar os momentos síncronos mais motivadores para a participação dos alunos e das alunas. Nesta hora, as práticas ativas se tornam ainda mais importantes e é sobre elas que conversamos em um bate-papo online sobre o tema.

A principal recomendação para as aulas a distância é o equilíbrio entre momentos síncronos e assíncronos. Para os estudos individuais, a principal dica é dar orientações claras para que os(as) estudantes consigam atingir os objetivos de aprendizagem. Já para os momentos síncronos – aqueles feitos por videoconferência por Hangouts Meet, por exemplo -, o desafio é manter alunos e alunas engajados(as) e motivados(as) para garantir a participação e, claro, a efetividade do processo de aprendizagem.

Este desafio ainda é maior quando nos lembramos que não podemos nos descuidar do desenvolvimento de habilidades e competências da Base Nacional Comum Curricular – um processo contínuo e transversal que deve ocorrer em todas as experiências de aprendizagem. Sendo assim, como aliar engajamento do estudante e aulas a distância a este imperativo da BNCC?

Uma das soluções é incorporar as práticas ativas de aprendizagem no processo de ensino. Além de promoverem o raciocínio crítico e dar visibilidade do pensamento de estudantes aos docentes, as práticas ativas são uma forma de interagir mais com a turma e engajá-la nos encontros virtuais.

Este é o tema do bate-papo online que aconteceu no dia 6 de maio. Quem conduziu o papo foi a designer pedagógica da Geekie, Glaucileide Oliveira.


Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Bitnami