“Educar é se entregar”: Dia dos(as) Professores(as) 2020

Já sabemos que 2020 foi um ano atípico. Para professores e professoras, estes meses foram marcados por grandes desafios, mas nenhum deles foi páreo para todas as entregas que esses educadores e essa educadoras fizeram para manter a aprendizagem e a esperança de seus alunos e suas alunas. 

Durante uma aula sobre Morfologia, a professora explicava as diferentes definições do que é esta área de estudo das linguagens. Era um momento assíncrono, gravado em sua casa com os recursos que ela tinha disponível, e elaborada dentro de uma estrutura de aula invertida. Eis que, em um determinado momento de sua explicação, foi possível ouvir, lá no fundo, uma criança chamando:

Ô mããããããããe?

O chamado se repetiu até que uma voz masculina tentou interromper a criança, mas não foi suficiente para acalmá-la. Ela chamou mais duas vezes enquanto a professora continuava sua explicação sem perder a linha de raciocínio.

Poucos segundos depois, batidas em uma porta que parecia ser de vidro voltam a competir com a aula. A porta se abre fazendo aquele barulho longo de madeira de alguém que entra no cômodo com cuidado, talvez para espiar, talvez para pedir alguma coisa à mãe. A professora continua a olhar para a câmera, sem deixar o ensino parar e a criança fecha a porta e se afasta. Apesar dos percalços, essa professora entregou uma aula perfeita sobre morfologia.

Uma cena como esta era inimaginável para professoras e professores acostumados com o ambiente da sala de aula. Elaborar slides em casa era até comum; pensar em diferentes metodologias para engajar a turma também; corrigir trabalhos e avaliações, então, era uma rotina bem conhecida. 

Porém, planejar e executar a aula dentro de casa e, junto a isso, equilibrar a vida pessoal com a responsabilidade de formar estudantes foi a realidade para muitos(as) educadores(as) em 2020. Um cenário com o qual docentes tiveram que lidar para continuar entregando a aprendizagem aos alunos e às alunas da melhor forma possível.

Ser professora ou professor é se entregar 

A situação atual reforçou que “docência” e “entrega” são praticamente sinônimos. O cenário atual exigiu de inúmeros(as) educadores e educadoras entregas ainda maiores, mas isso não é surpreendente em uma profissão marcada pela preocupação com a sociedade e com o desenvolvimento de crianças e adolescentes. 

A Pesquisa Internacional sobre Ensino e Aprendizagem (Talis) – conduzida pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) – aponta que, no Brasil, entre as principais motivações para ingressar na profissão de docente estão:

“Na prática, aqui reside a resposta para essa dedicação tão intensa e firme. Os professores e as professoras  – ao lado dos(as) profissionais da saúde – são alguns dos(as) protagonistas mais importantes do momento que vivemos. Uma inspiração que ultrapassa as palavras que eu possa usar”, destaca Claudio Sassaki, CEO e cofundador da Geekie.

O que professores e professoras entregaram aos(às) estudantes?

Em um cenário de distanciamento, educadores e educadoras foram fundamentais e não apenas para minimizar o impacto de uma pandemia global na aprendizagem de alunos e alunas. Eles e elas estiveram ali, dentro da casa de cada estudante, com sorriso no rosto, transmitindo serenidade, motivação, esperança e acolhimento pessoal. Eles e elas entregaram o coração, mesmo estando com o coração também abalado, envolto em incertezas. 

Apesar de todos os percalços, professores e professoras entregaram, como sempre fizeram, aulas interdisciplinares; experiências de aprendizagem sobre inclusão; visibilidade à comunidade escolar; preparação para o Enem e vestibulares; conhecimento contextualizado; entre outras inúmeras entregas.

Mais que isso, ainda, eles e elas se entregaram. Assumiram, de maneira ainda mais forte, que a docência vai além da transmissão de conteúdos. Ser professor ou professora é estar presente para atender as necessidades cognitivas e socioemocionais de alunos e alunas. É se doar, viver para e pelo próximo, mesmo com todos os desafios pessoais com os quais precisam lidar no dia a dia.

Confira o que professoras e professoras das escolas parceiras da Geekie entregaram em 2020:

Se você me pergunta o que eu entreguei, eu entreguei o coração. Neste momento de distanciamento social, era fundamental tentar transportar para o ambiente virtual aquilo que acontecia no ambiente físico. Então eu me esforcei para começar todas as aulas fazendo-os sorrir para sorrir junto. Ainda que de vez em quanto o coração estivesse apertadinho, ao entrar na sala eu me vestia do melhor sorriso e tentava compartilhar o coração. Eu acho que isso é fundamental.Napoleão, professor de História do Sistema Fator

Entreguei aos meus alunos e minhas alunas a capacidade de lidar com os problemas, adaptar-se às mudanças, superar os obstáculos e resistir às situações adversas. A palavra para tudo isso é resiliência e isso foi o que mais trabalhamos em 2020.Kátia, professora Escola Sulamericana

Nessa pandemia nós professores tivemos que aprender muitas coisas novas e nos transformar num espaço muito curto de tempo. Sendo assim, foi necessário uma evolução em nossas aulas e quando me perguntam o que eu entreguei para os meus alunos, posso afirmar com toda certeza que entreguei muito carinho, muito diálogo, muito apoio, muito respeito, empatia, conforto; sempre reforçando que isso é uma fase, que vamos passar por isso juntos, vamos aprender juntos e vamos superar juntos.Gabriel, professor de Física do Colégio Mundo de Platão

Em 2020 eu entreguei a professora Ana. A professora, amiga e companheira que desde sua infância já sabia que queria ser professora. A alegria e a satisfação de estar com as crianças me faz cada dia um ser humano melhor. Poder ensinar, poder estar com cada criança e poder participar da vida de cada família muito acrescenta à minha vida. Eu sou muito grata por tudo isso. Sou uma pessoa feliz, uma pessoa realizada. Ser professora e dizer ‘sou professora’ me enche de orgulho. Eu agradeço muito, muito, por cada oportunidade, por cada momento que me é proporcionado. Em 2020 não é diferente. Foram poucos momentos juntos, muitos a distância, mas não deixou de ter a troca de amizade, a troca de carinho, a troca de experiência, o ensinamento e o aprendizado.Ana, professora Escola Criativa (Campinas).

Além de novas perspectivas, de ver o mundo de maneira diferente, eu entreguei aos meus alunos e alunas metodologias mais ativas nas quais eles são mais participativos(as). Trouxe também para eles e elas um pouco mais de acolhimento pessoal. Eu fiz com que eles(as) percebessem que não estão sozinhos(as), que eles estão juntos(as) conosco nessa nova vida, nessa nova forma de ensinar.Átila, professor de História da Escola Sulamericana

Eu entreguei para os alunos e as alunas o que de fato eu realmente sou: uma pessoa alegre, divertida, que gosta de dividir, que gosta de ensinar, que gosta de trocar experiências, trocar saberes. Foi um ano atípico na vida de todos nós, mas eu não fiquei longe da vida de meus alunos um dia sequer. Pude acompanhar e ver o crescimento pessoal de cada um, a evolução de cada um. Eu não consigo falar só o que eu consegui entregar neste ano de 2020, mas sim o que as famílias e os(as) alunos(as) me entregaram nesse ano. Foi um ano que, perante todas essas dificuldades, foi maravilhoso, foi de crescimento em nossa vida. Alunos(as) companheiros(as) e comprometidos(as), famílias exemplares. Eu tenho orgulho de ser professora a cada dia que passa. Obrigada por tudo.Larissa, professora Escola Criativa (Campinas).

Com certeza conteúdo contextualizado não faltou. Muita descontração, diálogo. Mas o que não faltou, acima de tudo, todos os dias e em doses homeopáticas foi motivação e esperança. Isso sim foi o que não faltou em minhas aulas.Cintia, professora de Ciências e Biologia da Escola Sulamericana

Eu entreguei muita empatia, entreguei muitos abraços virtuais, entreguei muita criatividade nas dinâmicas de check-in e check-out. Entreguei muita álgebra, entreguei muita geometria, entreguei muitas soluções comentadas de questões do Enem. Mas acho que mais importante que ter entregue tudo isso foi ter recebido diariamente muito afeto e gratidão dos alunos.Renato, professor de Matemática do Sistema Fator

A todos os professores e todas as professoras, nosso muito obrigado por todas as entregas e um feliz dia dos(as) professores(as).

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Bitnami