Geekie Teste cobre 87% dos assuntos de Linguagens e Ciências Humanas do Enem 2020

Segundo o parecer da Equipe de Avaliação da Geekie, responsáveis pela construção do Geekie Teste, o caderno de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias ofereceu uma prova heterogênea aos estudantes; já em Ciências Humanas, o destaque foi para as questões de Geografia e Filosofia, que apresentaram o maior nível de dificuldade da prova. Confira o primeiro texto da Série Enem, da Geekie.

O primeiro dia de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 foi marcado por uma presença maior das questões de Sociologia; questões com maior nível de dificuldade em Geografia e Filosofia; e uma prova de Linguagens heterogênea, focada nas “habilidades do(a) respondente em interpretar, raciocinar e refletir sobre o que lhe foi perguntado, apoiando-se nos textos-base para resolver as questões”. Essa é a análise da Equipe de Avaliação da Geekie, um time de educadores e educadoras responsáveis pela elaboração do Geekie Teste, a avaliação externa que simula o Enem e o Saeb para estudantes do Ensino Fundamental (anos finais) e Médio.

A equipe constatou que os alunos e alunas das escolas parceiras da Geekie que fizeram o Geekie Teste em 2020 tiveram contato com 88% dos assuntos que caíram na prova oficial de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias; já no caderno de Ciências Humanas, a convergência de assuntos foi de 87%. Esses(as) estudantes participaram de até quatro aplicações do Geekie Teste ao longo da 3ª série do Ensino Médio no ano passado. Os resultados de cada avaliação ajudam o(a) aluno(a) a entender quais habilidades precisa desenvolver para melhorar o desempenho no Enem; já para docentes, coordenação e gestão, o Geekie Teste proporciona resultados comparativos entre estudantes, turmas e a média nacional do exame oficial que são utilizados para personalizar a aprendizagem de estudantes e embasar decisões pedagógicas mais coerentes com a realidade da escola. 

Segundo Claudio Maroja, diretor de avaliação da Geekie, “cada aplicação do Geekie Teste teve entre 62% e 69% de acertos em uma comparação que considera a convergência das questões exclusivas da avaliação externa da Geekie e o que foi cobrado de estudantes no Enem Oficial. Esses ‘acertos’ do Geekie Teste consideram tanto o assunto geral da questão, como também seu subassunto, aumentando, assim, o nível de profundidade da comparação. Este é um resultado excelente que nos enche de orgulho por que a nossa convergência para o Exame Oficial é enorme”.

Confira o parecer qualitativo da Equipe de Avaliação da Geekie sobre os dois cadernos do primeiro dia de aplicação do Enem 2020. Leia também outros artigos especiais sobre o exame clicando na imagem abaixo:

Ciências Humanas e suas Tecnologias

Na aplicação referente ao ano de 2020, a prova de Ciências Humanas e suas Tecnologias, de maneira geral, se dedicou a temas atualmente em pauta, como demandas sociais e questões ambientais, por exemplo, além de conteúdos específicos da área, sobretudo nas disciplinas de Geografia e Filosofia, cujas questões apresentaram o maior nível de dificuldade na prova.

Assuntos mais cobrados da prova de Ciências Humanas e suas Tecnologias:

  • História Moderna;
  • Antiguidade;
  • Relações de trabalho;
  • Espaço rural;
  • Políticas públicas brasileiras;
  • Filosofia antiga;
  • Teoria do conhecimento;
  • Urbanização;
  • Geologia;
  • Geopolítica e relações internacionais.

Geografia

Em relação à disciplina de Geografia, o assunto de maior destaque foi espaço rural, abordado em diferentes aspectos como a reforma agrária, a relação dos camponeses com a natureza, as dinâmicas produtivas, o impacto da expansão da agricultura sobre os recursos hídricos e a demanda pela integração do território brasileiro para escoamento da produção agrícola. Contudo, o espaço urbano também foi contemplado com questões referentes à expansão das cidades brasileiras e sua periferização, bem como a influência empresarial no modelo de planejamento urbano.

Geopolítica e globalização também foram explorados por meio de questões sobre estratégias de defesa dos Estados Unidos e a importante relação comercial entre Brasil e China, ponto onde se destaca o aumento da importação de produtos industrializados chineses e o fortalecimento da ciência como medida para equilibrar a balança comercial brasileira. O tema dos modelos de produção industrial também esteve presente com uma questão sobre o toyotismo.

No que diz respeito à geografia física, a geologia foi o grande foco deste ano,  exigindo conhecimentos acerca dos agentes internos de formação do relevo e das características dos dobramentos modernos e maciços antigos. Em contraste com anos anteriores, o clima que era um assunto recorrente, não teve espaço nesta prova. A cartografia, que está sempre entre os assuntos cobrados, apresentou questões mais interpretativas e menos técnicas. As questões sobre impactos ambientais apareceram de forma mais modesta do que o comum, abarcando a poluição hídrica e a catástrofe de Mariana-MG.

Filosofia

Na disciplina de Filosofia, foram tratados assuntos recorrentes no Enem, como filosofia antiga e teoria do conhecimento. O maior diferencial este ano foi a questão sobre solipsismo, uma doutrina filosófica contemporânea. Além disso, ainda foram abordadas questões sobre pensamento político e existencialismo. Os filósofos citados foram Aristóteles, Tolstoi, Montaigne e Merleau-Ponty.

História

Quanto à disciplina de História, o foco foi em assuntos referentes à História Moderna, com destaque para as transformações operadas no âmbito da mentalidade social, ocasionadas pelos adventos da imprensa e da Reforma Protestante na Europa. Dentro dessa área, também se abordou a expansão ultramarina portuguesa, em específico, a justificação ideológica dos colonizadores lusos para a exploração da mão de obra escrava negra em suas colônias do além-mar. 

Em relação à História da África, exigiu-se do estudante a identificação da função social das representações rupestres nas sociedades locais, com a finalidade de se estabelecer uma reflexão sobre o papel dessas mesmas representações nas primeiras sociedades humanas. No bojo dessa temática, podemos considerar também o enfoque nos fenômenos culturais e nas potencialidades das novas fontes para a ciência histórica.   

Outro elemento a se considerar nas questões da disciplina, foi a abordagem de assuntos relacionados à Antiguidade, desde o Código de Hamurabi, a democracia grega clássica até o expansionismo romano durante a República e a perseguição aos cristãos nos primeiros séculos do Império Latino.  

Os assuntos referentes à História Contemporânea também não ficaram de fora: havia uma questão sobre a Revolução Francesa e o significado da Declaração dos direitos do homem e do cidadão, que ganharam repercussão mundial. Além disso, abordou-se os principais aspectos do Estado norte-americano no século XIX, bem como o deslocamento compulsório de mão de obra no mesmo período, movimento conhecido como “tráfico de coolies”, que mobilizou centenas de asiáticos para trabalhar em regiões da América Central e do Peru.     

E, por fim, em relação à História do Brasil, o único assunto abordado foi um dos episódios mais importantes do processo de independência política do país – o movimento pernambucano de 1817 – e as principais causas de sua eclosão, numa região historicamente conhecida pelas manifestações contrárias ao poder vigente.  

Sociologia

Com um espaço significativo na prova deste ano, a disciplina de Sociologia destacou-se com assuntos bastante discutidos na contemporaneidade, como as mudanças nas relações de trabalho, os novos modelos de produção, os movimentos sociais pró-reforma agrária e as políticas públicas brasileiras, voltadas à educação e à assistência social.    

e-book-Novo-Ensino-Médio

Linguagens, Códigos e suas Tecnologias:

Considerando o caderno de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias como um todo, pode-se notar que houve a intenção de oferecer uma prova bem heterogênea. Os temas, textos e habilidades, de modo geral, foram bem distribuídos, garantindo que o(a) estudante não seja privilegiado(a) ou penalizado(a) por ter maior ênfase em um único aspecto, além de priorizar trechos relativamente menores, de forma que a prova não fosse um “teste de resistência”, mas sim das habilidades do(a) respondente em interpretar, raciocinar e refletir sobre o que lhe foi perguntado, apoiando-se nos textos-base para resolver as questões.

Línguas estrangeiras

Em relação às Línguas Estrangeiras, houve marcadamente uma escolha por textos que exigiam uma leitura mais acurada e profunda para sua correta compreensão e interpretação. Os temas foram majoritariamente relacionados a problemas sociais, o que pôde ser percebido nos poemas, trecho de romance, letra de música, resenha crítica e nos dois pôsteres utilizados, configurando também uma interessante variedade de gêneros textuais nesta parte da prova. 

Arte

Em Arte, a escolha foi por imagens e textos que reflitam sobre práticas e movimentos artísticos contemporâneos, nenhum deles anterior à década de 1960, apresentando variedades diferentes de expressões, desde o uso do corpo como suporte até instalações e o modo de concepção de uma música. As questões focaram-se na forma como a Arte é feita, sua repercussão e no próprio entendimento do que é Arte.

Educação Física

No que diz respeito à Educação Física, os temas mais trabalhados em suas questões, assim como nas de línguas estrangeiras, foram as questões sociais. Entre elas, duas discutem a desigualdade de gênero e uma trata da relação entre problemas sociais e aptidão física. O futebol foi o esporte mais citado – seja na tela de um videogame, ao nomear o jogo FIFA, seja ao discutir a diferença de salário entre atletas do esporte.

Linguagens

Em relação a Linguagens, as habilidades foram bem distribuídas por meio, principalmente, dos seguintes assuntos: 

  • Variedades linguísticas;
  • Impacto e função das Tecnologias da Informação e Comunicação;
  • Modalidade informal oral;
  • Funções da linguagem;
  • Gêneros literários;
  • Idade Contemporânea;
  • Conceitos fundamentais de semântica;
  • Interpretação.

A distribuição dos gêneros textuais como base para as questões foi bem diversificada. No campo literário, a presença de textos em formas de versos (poemas e letras de músicas) é notável, principalmente por boa parte ser de autores contemporâneos, como Lenine e Caetano Veloso. Além disso, é possível perceber que o mesmo ocorre entre os autores de textos em prosa (romances e contos): contamos com trechos de obras de autores como Dalton Trevisan e Ondjaki. No entanto, o Enem não focou apenas nos contemporâneos. A literatura canônica se faz presente na avaliação, com passagens de Lima Barreto e Olavo Bilac.

Os demais textos em Língua Portuguesa estão distribuídos em gêneros diversos: artigo de opinião, textos explicativo e acadêmico, notícia de jornal, crônica, anúncio publicitário e artigo de lei.  Como já praticado pelo Enem nos demais anos, a área de linguagens exigia interpretação de textos e, a partir disso, que o(a) respondente identificasse informações ou tirasse conclusões para responder à questão.

Além disso, a avaliação de habilidades continua sendo o seu destaque, tendo apenas duas questões que exigiam conhecimentos específicos de conteúdos, as quais tratam do uso do gerúndio e a identificação do elemento faltante na linguagem oral utilizada em um pôster de filme. No entanto, a questão sobre gerúndio, por exemplo, não deixou de trabalhar um tema atual, visto que há muitas discussões sobre o seu uso.

Leia também:

Conheça o Geekie One, a melhor plataforma de educação personalizada. Peça uma demonstração
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Bitnami