Análise Enem 2021: Geekie Teste cobre 96% dos assuntos de Linguagens e 93% de Ciências Humanas

Questões que abordaram aspectos sociais dos brasileiros, da problemática da autonomia da mulher às variações linguísticas, marcaram a primeira prova do Exame Nacional do Ensino Médio. Estudantes que treinaram para a prova com o Geekie Teste responderam, nos quatro simulados ao longo do ano, questões com os mesmos assuntos nas provas oficiais. Conheça a análise do time de Avaliação da Geekie.

Com pouco mais de 3 milhões de inscritos(as) no Exame Nacional do Ensino Médio de 2021 e 26% de abstenções no primeiro dia de aplicação da prova, o Enem deste ano trouxe questões relacionadas às problemáticas sociais nas duas áreas de conhecimento no dia 21 de novembro. O Geekie Teste, avaliação externa da Geekie que simula o exame, já havia apresentado 96% dos assuntos de Linguagens e 93% de Ciências Humanas.

Os(As) estudantes de escolas que adotam o Geekie One e os(as) matriculados(as) na Rede SESI estavam mais preparados do que nunca para o Enem 2021. Ao longo das quatro aplicações do Geekie Teste em 2021, os(as) alunos(as) dessas escolas encontraram questões que abordavam os mesmos assuntos da prova oficial.

As questões inéditas do Geekie Teste são elaboradas pelo Time de Avaliação da Geekie. Elas estão balizadas com a Teoria da Resposta ao Item (TRI) e permitem não apenas a simulação da nota final do exame, como também uma preparação mais personalizada a partir da leitura dos relatórios de habilidades esperadas dos(as) estudantes ao longo das provas.

Confira aqui o parecer do Time de Avaliação da Geekie sobre as questões de Linguagens e Ciências Humanas do primeiro dia do Enem 2021:

Linguagens, Códigos e suas Tecnologias: variações linguísticas e princípios de argumentação ganham ênfase em 2021

Na área de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, as línguas estrangeiras abordaram questões sociais e culturais, como variedades linguísticas, racismo, criação de um país,  transformação na transmissão de informações no século XXI e o papel da literatura na visão de um escritor. Em ambas as línguas, houve uma ênfase na interpretação de expressões ou palavras de acordo com o contexto textual e a capacidade de inferência a partir dos dados textuais. De modo geral, as questões trouxeram gêneros textuais equivalentes para inglês e espanhol, como resenha/crítica, charge e artigo jornalístico.

Arte

Em Arte, houve maior destaque na produção brasileira do período que compreende o final do século XIX e os dias atuais. Entre as manifestações artísticas apresentadas estão a pintura Moema (de Victor Meirelles, baseada na história de Caramuru), a estética brasiliense na criação de móveis, o contexto cultural da origem do maxixe e a recriação artística de uma dança no atual contexto sociocultural brasileiro. 

Fonte: “Moema”, por Victor Meirelles (1886). MASP.

A prova relacionou essas manifestações com as ideias de arte como denúncia, a lembrança da crise de refugiados como um tema ainda atual (que envolve milhares de vidas — e mortes) e a necessidade de repensar os fins que damos para o lixo através de uma ressignificação do plástico no meio artístico.

Educação Física

As questões referentes à Educação Física mostraram-se bem heterogêneas no campo temático, mas se assemelham quanto à abordagem que se relaciona com questões sociais. Como exemplo, podemos citar a temática da erotização do corpo da mulher, o racismo no futebol e a progressiva diminuição no tempo que as crianças têm dedicado às brincadeiras. Além disso, também foi trabalhada a história do skate e seu processo de democratização graças à evolução de sua construção.

Língua Portuguesa

Já as questões de Língua Portuguesa, componente curricular responsável pela maior parte da área de Linguagens no Enem, trazem textos literários exclusivamente brasileiros, desde músicas populares até trechos de romances. Assim como em Arte, as obras trabalhadas também foram do final do século XIX até hoje.

Dentre os textos literários, Machado de Assis foi o autor mais abordado: há três trechos de obras diferentes de sua autoria e dois textos sobre sua obra (foram quatro questões sobre ele, sendo uma de Arte e três de Língua Portuguesa). Além de Machado, outros autores do cânone também tiveram seus textos analisados na prova, como Lima Barreto, Guimarães Rosa, Hilda Hilst e Fernando Sabino. No entanto, o Enem não se limita somente aos autores mais estudados. Como de praxe, também trouxe textos de autores contemporâneos, como um trecho de um romance de Ana Paula Maia.

A música brasileira também teve um espaço especial na prova de 2021: três questões trouxeram músicas de Chico Buarque com João Bosco, Luiz Gonzaga e Nelson Sargento. Paulinho da Viola também teve alguns versos referenciados em outra questão da prova.

Apesar de os textos literários ocuparem uma parte significativa do Enem, eles não representam o todo. A prova trouxe demais gêneros textuais, que a tornam plural nesse aspecto. Entre eles, temos resenhas de produções cinematográficas, quadrinhos, campanha de conscientização, infográfico, notícias, artigo de opinião e artigo científico. 

Em relação aos assuntos trabalhados, a prova deste ano teve uma ênfase nas variedades linguísticas, assim como nos princípios da argumentação (estratégias argumentativas/tese/formas de arguir em favor de um ponto de vista), mais abordados em comparação aos anos anteriores. Mesmo assim, muito do foco do Enem ainda é voltado para interpretação de texto e capacidade de inferência, identificação e reconhecimento de elementos verbais e não verbais em textos diversos. Apesar disso, não faltaram conteúdos considerados tradicionais, como funções de linguagem e textos que abordassem a relação da tecnologia com a comunicação, assim como os que privilegiam o conhecimento de gêneros textuais específicos (como a resenha).

Confira também: Simulado Enem: Geekie Teste cobre 97% dos assuntos de 2019

Um ponto que chamou a atenção nesse ano foi a utilização de textos mais longos, se comparado ao Enem de 2020, assim como uma predileção por textos estritamente verbais, com poucas questões utilizando-se de linguagem mista (verbal e não verbal) e nenhuma fazendo uso apenas de textos não verbais, o que privilegia o candidato com maior facilidade com a leitura e rapidez para localizar informações principais em textos complexos. Entretanto, os textos se destacam pela predominância da abordagem de problemas sociais e políticos, como a problemática da autonomia da mulher, da escassez da água, o preconceito com relação às variedades linguísticas que diferem da norma-padrão, o tratamento dado aos presos e a escravidão.

Assuntos mais cobrados na prova:

  • Variedades linguísticas
  • Argumentação e estratégias argumentativas
  • Interpretação textual
  • Características de gêneros textuais diversos
  • Idade Contemporânea
  • Impacto e função das Tecnologias da Informação e Comunicação
  • Conceitos fundamentais de semântica
  • Funções de linguagem

Ciências Humanas e suas Tecnologias: industrialização, novas tecnologias e o mercado de trabalho

A aplicação de 2021 da prova de Ciências Humanas e suas Tecnologias, em linhas gerais, deu destaque a assuntos referentes à realidade brasileira, sobretudo seus problemas históricos e contemporâneos. Porém, o exame também buscou relacioná-los ao âmbito internacional, abordando de diversas formas o desempenho do Brasil no contexto da globalização.

Geografia

Em relação à componente curricular de Geografia, as temáticas físico-naturais foram abordadas levando em consideração os sujeitos sociais que compõem as paisagens, relacionando, por exemplo, a conservação do Cerrado aos saberes tradicionais de indígenas Xavantes para a germinação de sementes e a percepção de sertanejos sobre o clima e o tempo no semiárido. A territorialidade de povos tradicionais também foi abordada ao problematizar conflitos gerados a partir da instalação de atividades mineradoras e o consequente rompimento de vínculos locais.

Ainda sobre as temáticas físico-naturais, a prova abordou, com menor frequência do que na edição anterior, a formação e classificação de rochas, com destaque para as rochas sedimentares e o ciclo que compõe seu processo de transformação. Outro ponto de destaque foi o movimento de translação da Terra e o fenômeno de solstício, tratado junto dos conhecimentos sobre a localização de Brasília e sua orientação em relação aos pontos cardeais. 

A economia brasileira foi um assunto presentes em Geografia, com destaque para a industrialização, as novas tecnologias e suas influências no mundo do trabalho. A realidade nacional apareceu relacionada à dinâmica de produção e distribuição espacial das indústrias no mundo globalizado, evidenciando a divisão internacional do trabalho e a inserção de países em desenvolvimento no mercado global. De modo semelhante, a revitalização urbana foi relacionada à intensificação da participação da cidade do Rio de Janeiro no mercado competitivo global. Além disso, a prova contextualizou a alteração da paisagem geográfica nas cidades e a velocidade de transformação da vida cotidiana. 

Outros assuntos se fizeram presente a partir da abordagem geográfica, porém pontualmente. São eles: políticas demográficas relativas à transitoriedade de refugiados, situação que implica em insegurança legal e desenraizamento cultural; segurança hídrica e políticas de gestão de bacias hidrográficas; e a modernização da agricultura como possibilidade de estabelecimento de um mesmo cultivo em ambientes com condições climáticas e topográficas diversas. 

Filosofia

A respeito da componente curricular de Filosofia, o assunto Filosofia e Ciência foi contemplado ao expor o pensamento de Descartes sobre as contribuições da epistemologia filosófica para a sustentação da unidade essencial do conhecimento. A Filosofia grega também esteve presente na prova, evidenciando o método dialético de Platão em Mênon, texto no qual se pode identificar a influência do pensamento socrático. 

Além disso, o pensamento de Nietzsche relativo à transcendência foi abordado, compreendendo temas da Filosofia moral, ao comparar o amor em vida presente com a possibilidade de consagração no plano transcendental. O exame também tratou do pensamento cristão no contexto medieval, abordando a teologia ascética, baseada em princípios de simplicidade e sujeição do corpo (carne) ao espírito.

Por fim, a Filosofia política foi apontada sob os escritos de Deleuze, os quais refletem sobre o estado de dominação que implica na existência de maiorias e minorias, noções que não se opõem apenas de maneira quantitativa.

História

Quanto à componente curricular de História, a prova focou em vários momentos da história do Brasil, desde o período colonial até a contemporaneidade. Pelo menos três questões do exame trataram da escravização dos negros durante a Colônia e o Império, demonstrando o tratamento relegado aos cativos e as características do trabalho compulsório, assim como as tentativas de abolir a instituição escrava no Brasil. O mesmo enfoque foi dado às populações indígenas brasileiras, através da análise de suas formas atuais de resistência e das suas práticas culturais (saberes medicinais, rituais etc.).

Outro ponto a ser destacado nas questões relacionadas à história do Brasil são os governos do presidente Getúlio Vargas. Abordou-se, ainda no Governo Provisório (1930-1934), o movimento conhecido como Escola Nova, ou melhor, os principais pontos defendidos pelos escolanovistas no Brasil. Em relação ao Estado Novo, a prova tratou dos órgãos estatais dedicados à coleta de dados e à pesquisa da realidade brasileira, como o IBGE. Quanto ao período democrático, o exame se dedicou à análise dos desdobramentos sociais do suicídio de Vargas, em 1954: o crescimento da mobilização popular.

Ainda sobre a história brasileira, ressaltam-se as medidas de homogeneização cultural do Estado português em sua maior colônia no século XVIII, assim como a análise do processo de autonomia política do Brasil, levantando algumas hipóteses sobre a manutenção dos seus domínios, em comparação à América espanhola, que se dividiu em várias repúblicas quando do rompimento das relações com a metrópole hispânica.

Já em relação à História geral, com destaque menor na aplicação de 2021 em comparação com a edição anterior, a prova abordou a cultura material do Reino do Congo antes do contato com os europeus; as diferentes perspectivas historiográficas da Revolução Inglesa do século XVII; as divergências entre as políticas de preservação do patrimônio cultural das sociedades; e dois processos característicos do período medieval: as transformações urbanas e as suas implicações nas relações sociais e as ligações conflitantes entre a Igreja e os movimentos heréticos. 

Sociologia

No tocante à componente curricular de Sociologia, o exame deu grande destaque ao problema da desigualdade social no Brasil e no mundo, seja no caso da população carcerária brasileira, no papel secundário dado às mulheres cientistas ou nas relações de trabalho capitalistas. A prova também se dedicou a tratar das características das mudanças sociais nos países emergentes em meados do século XX; da alienação da população brasileira perante os problemas de cunho nacional; da relação entre a satisfação dos desejos pessoais e o consumismo nas sociedades capitalistas; do conceito de luta de classes para os teóricos do chamado socialismo científico; e, por fim, da riqueza do patrimônio imaterial brasileiro.

Assuntos mais cobrados na prova:

  • Escravidão
  • Era Vargas
  • Patrimônio cultural
  • Desigualdade social
  • Culturas indígenas
  • Novas tecnologias 
  • Relações de trabalho
  • Economia política no mundo globalizado
  • Paisagens e ação antrópica
  • Natureza e território

Leia também:

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Bitnami