Sala de aula invertida: o que muda no trabalho do(a) professor(a)?

Conheça a Sala de Aula Invertida, ou flipped classroom, uma das tendências para a educação no século 21! Como aplicá-la e o que muda na dinâmica entre aluno e professor?

A sala de aula invertida (ou flipped classroom, em inglês) é uma variação do Ensino Híbrido. Nesse modelo, alunos e alunas estudam os conteúdos previamente, à distância, através de materiais digitais: videoaulas, textos, podcasts, etc.. Eles servem como introdução aos temas que, mais adiante, serão aprofundados com professores(as) e colegas.

Isso não significa que a sala de aula fica de fora do processo! Após o estudo individual, os(as) estudantes vão para a escola, onde tiram dúvidas, debatem, trazem assuntos complementares e desenvolvem projetos e atividades em grupo. Justamente o contrário do sistema tradicional, em que o(a) aluno(a) primeiro aprende em uma aula expositiva e, depois, faz a tarefa de casa sozinho.

A sala de aula invertida coloca o foco no(a) estudante, não no(a) professor(a). Afinal, a transmissão de conteúdo, por si só, prescinde de um educador ou de uma educadora – os relacionamentos fazem sentido ao gerar oportunidades de aprendizagem significativas, quando a turma, presencialmente, consegue explorar um assunto em profundidade e criar a partir do conhecimento adquirido. A abordagem respeita o tempo de aprendizagem de cada aluno e aluna, já que ele pode selecionar qual conteúdo assistir em casa, em que ordem acessar os materiais e, quando houver dificuldade de compreensão, rever para anotar dúvidas e fazer pesquisas paralelas.

Para o professor ou a professora, isso significa – como é comum à maioria das abordagens da Educação no século 21 – que ele deixa de ser um transmissor de conhecimento. Por outro lado, cabe a esse educador ou a essa educadora:

  • curar informações, oferecendo fontes confiáveis, atuais e interessantes a seus alunos;
  • provocar reflexões que desenvolvam nos jovens o senso crítico e a capacidade de pesquisar, filtrar e relacionar essas informações;
  • criar um ambiente em que esses conteúdos se tornem relevantes, aplicáveis, através de dinâmicas adequadas ao contexto da turma;
  • manter um olhar atento para o desenvolvimento individual, sendo assim capaz de apontar caminhos que ampliem a aprendizagem de cada um.

Seu trabalho em sala de aula pode ser organizado de diversas maneiras, como o ensino baseado em projetos ou a rotação por estações de aprendizagem. São todas abordagens inovadoras que, quando trabalhadas de maneira complementar, tornam a aprendizagem mais envolvente, prática, significativa – além de promover mais tempo e espaço para desenvolver habilidades do século 21: a resolução de problemas, o pensamento crítico, a colaboração e a criatividade.

Entenda a sala de aula invertida com o infográfico abaixo:

infográfico sala de aula invertida


Gostou desse artigo? Continue aprendendo sobre educação inovadora:

Ensino-Híbrido-na-prática_CTA
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Bitnami